20150227

1 ¶ Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

 Eu poderia colocar aqui  em cima uma foto com Gabriel em leito hospitalar, mas resolvi que o Deus emquem tenho crido e a quem tenho servido tem que ser glorificado por tudo quanto Ele já fez.
Gabriel fez um cirurgia por video para retirada de um calculo renal e tudo foi tão bem que em dois dias ele já estava trabalhando e levando a vida normal. Foi deixado um cateter no canal de urina para repor a contração.
Até aí, bom demais. No dia marcado para remover o cateter ele amanheceu com febre altíssima, que cheguei a pensar em dengue de tão resistente e demolidor como se apresentava a temperatura. O plantonista entendeu como virose e o mandou para casa com novalgina 1g a cada 6hora e a febre tão resistente que eu dava de 3 em 3 horas e a febre não cedia. Quando voltamos ao médico já foi internado, fez exames,que revelou um grau quase de infecção generalizada. Quando o urologista  chegou, estranhou o quadro pois não podia ser do rim, dizia. Mas doutor lembra que o rim estava muito inchado na Tomo, eu tentava argumentar. Mas o medico que estudou não concordava. Mas a febre e a dor passaram, menos a dor de cabeça e o mal estar no estomago. Repetiu o exame e a infecção não cedeu e depois de cinco dias a cultura revelou que a bacteria estava nos rins e era resistente ao medicamento.
E pasmem o medico veio ao hospital, viu o exame e prescreveu o novo medicamento e mandou a enfermeira informar as novidades. Me indignei. Como ele pode diante de um quaro desses, prescrever e voltar embora, estando a uns passo do quarto e mandar um recado dizendo das novidades. A enfermeira começou a recitar as qualidades do medico e a gritar dentro do quarto, se fazendo de paredão na defesa do doutor. Depois fui falar com ela sobre o nosso procedimento de batermos boca indiferente ao enfermo que em si só ja tinha muitos motivos para stress. E quando o medico veio para visita do fim da tarde ela falou para ele coisas que eu não disse e nem fiz. Claro que o medico foi a favor dela. A mordaça hospitalar. Espirito do SUS. Pacientes e acompanhantes não devem nem podem falar ou questionar nada. Como ovelhas em direção ao matadouro temos que nos fazer cegos e mudos. Gabriel inclusive me disse depois que o medico saiu: "Mãe, não se discute com enfermeira nem com garçom. Por razões obvias." Não creio assim. O mau caráter vai se revelar e vai ter que sair, se todos - educadamente - nos pronunciarmos quando a outra parte não proceda satisfatoriamente. Seja quem for, padre, policia, politico, medico, enfermeira ou garçom todos devem saber que existem duas partes com direitos e obrigações e uma lei que nos permite ou obriga ao cumprimento.
Mas quero agradecer a Deus por tudo que já fez a nosso favor e por tudo que ainda vai fazer, porque Ele é bom e poderoso para concluir o que começou em nossas vidas.
Louvado seja o Senhor nosso Deus que tem feito grandes coisas por nós por isso estamos contentes e agradecidos.
Obrigada Deus por nos fortalecer nesta hora e nos socorrer na angustia com abraços, carinhos e palavras dos nossos irmãos em fé. Senhor retribua generosamente a cada um que tem intercedido a Ti a favor do meu filho Gabriel. Abençoe o quadro hospitalar e clinico e que o diretor/presidente de todos os procedimentos sejas Tu, meu Senhor e meu Deus!

Nenhum comentário: