20150325

Ao dares uma grande ceia, convida os pobres, os deficientes físicos, os mutilados e os que não podem ver. Lucas 14:13

 Facil e saborosos
 Lanche é o lance.

 Compartilhe conosco algo gostoso

Quem divide multiplica.

"Clamo a Deus por socorro; clamo a Deus que me escute". Salmo 77.10

A dor faz parte da vida.
Ela pode manifestar-se através de um corpo doente ou de um coração despedaçado.
Seja como for, ela surge e invade nosso cotidiano.
Contudo, nossa natureza, orgulhosa em sua essência, tenta manter sua independência e resiste em procurar ajuda até do Senhor que nos criou.
Quando enfrentamos uma situação angustiante, precisamos buscar o Senhor, desabafar sinceramente e pedir seu auxílio.
Deus se preocupa com nosso sofrimento, e seu principal interesse é nos moldar para glorificá-lo, honrá-lo e louvá-lo.
Às vezes, nossa dor escondida é tão dilacerante que não conseguimos compreender que o Senhor está atuando em nossas vidas.
Apenas quando exaurimos nossas forças, é que aceitamos a sugestão:
Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” I Pedro 5:7
Asafe, no Salmo 77.7-9, questiona Deus sobre a autenticidade de suas virtudes.
Ele estava abalado pelo que, segundo seu entender, representava uma falha no amor, bondade, interesse e misericórdia de Deus; ele argumentava a respeito do próprio caráter do Criador.
É importante observar a reação divina.
Ele não o destruiu ao ouvir suas dúvidas, mas reconheceu a sinceridade de um coração necessitado.
Deus não fica enraivecido ou impaciente quando lhe pedimos explicação sobre seu procedimento. Devemos refletir racionalmente sobre a fidelidade, misericórdia e amor de Deus que já experimentamos no passado, mas que se tornam distantes e irreais em nossa provação atual (Salmo 77.11-12).
O louvor é a arma mais poderosa contra as forças e inimigos dispostos a nos derrotar.
Se, pela fé, aprendêssemos a louvar a Deus, mesmo sem resposta imediata, obteríamos muitas vitórias em todas as esferas da vida.
Desviando nosso olhar do egocentrismo e tomando a decisão racional de louvar ao Senhor, ao final receberemos dele a vitória e teremos crescido através do sofrimento.
Em meio a nossa maior dificuldade podemos ser transportados do desespero à adoração, se... Formos honestos a respeito do que sentimos; questionarmos o Senhor sobre o que nos perturba interiormente; lembrarmos da sua atuação poderosa e misericordiosa no passado; louvarmos nosso Deus, mesmo antes de receber qualquer resposta.
 Qualquer que seja minha angústia sei que meu Deus vai adiante de mim.
Confio nisso!
E, pelo que ele já me concedeu no passado, sei que o futuro trará novas e grandes bênçãos.

Pense Nisto:
Quando a dor nos alcança, nada melhor do que buscar o Deus da nossa salvação e Senhor da nossa vida;
Confiar Nele, ter esperança no seu amor e na sua bondade.
Ter fé para louvá-lo verdadeiramente, apesar da dor que aflige nosso coração.

20150323

"...Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?" Neemias 6:3

Esse texto relaciona-se com a reconstrução dos muros de Jerusalém após o cativeiro babilônico. 
 

A árdua tarefa foi realizada em impressionantes 52 dias, mulheres trabalhando lado a lado com os homens. (Neemias 6:15 e 3:12.)
Daniel havia profetizado que os muros seriam reconstruídos "em tempos angustiosos" (Daniel. 9:25). 
Assim, Neemias talvez não se tenha impressionado muito quando alguns críticos chegaram e tentaram impedir o trabalho. 
Neemias disse que Sambalá, o horonita, Tobias, o amonita, e Gesém, o arábio, haviam-no desprezado e zombado dele (2:19). 
Certo dia, um dos críticos foi examinar o muro e ridicularizou-o: "Vindo uma raposa derrubará o seu muro de pedra" (4:3). 
Mas Neemias recusou-se a interromper a obra que Deus lhe havia confiado e a discutir com seus críticos. 
Essa é uma boa forma de responder aos astuciosos.
Quando o Coronel George Washington Goethals estava construindo o Canal do Panamá, enfrentou problemas de topografia e de doenças tropicais que teriam intimidado um homem de menos fibra. 
Mas o pior problema foi que ele teve de suportar comentários irônicos de críticos amargos de seu próprio país. 
Estes tinham certeza de que ele fracassaria. Afinal de contas, não havia o Visconde de Lesseps, famoso construtor do Canal de Suez, desistido do projeto? 
Mas Goethals ignorou os astuciosos.
Certo dia, um de seus subordinados perguntou-lhe, exasperadamente:
-O senhor não vai dar uma resposta aos críticos?
-Sim, oportunamente.
-Mas quando e como?
-Com o canal.
Que bela resposta! 

Se a obra que você está realizando é aprovada por Deus, não pare para discutir com seus críticos. 

Deixe que os resultados falem por si mesmos!

20150319

Depois despediu-se dos seus irmãos e, ao par­tírem, disse-lhes: "Não bríguem pelo caminho!" Gênesis 45:24



Abro meus armários
 

 E vejo nos meus sapatos...



Os meus caminhos.

Quem virá na comitiva...?

20150316

“Quão melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quão mais excelente é adquirir a prudência do que a prata!" Provérbios 16:16

Um velho pedreiro que construía casas estava pronto para se aposentar.
Ele informou ao chefe o seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família.
Ele ainda disse que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.
A empresa não seria muito afetada pela saída do pedreiro, mas o chefe ficou triste ao ver um bom funcionário partindo.

Assim, pediu ao pedreiro para trabalhar em mais um projeto, como um favor.
Como a vida é engraçada...
O pedreiro não gostou, mas acabou concordando.
Foi fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia.
Assim, prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados. Foi uma maneira negativa de ele terminar sua carreira.
Quando o pedreiro acabou, o seu chefe veio fazer a inspeção da casa construída.

Depois, deu a chave da casa para o pedreiro e disse:
"Essa é sua casa. Ela é o meu presente para você."
O pedreiro ficou muito surpreso.
Que pena! Se soubesse que estava construindo sua própria casa, ele teria feito tudo diferente.
O mesmo acontece conosco.

Nós construímos nossa vida, um dia de cada vez e, muitas vezes, fazendo menos que o melhor possível na construção.
Depois, com surpresa, nós descobrimos que precisamos viver na casa que nós construímos.
Se pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos tudo diferente.
Mas não podemos voltar atrás.

Você é o pedreiro.
Todo dia, você martela pregos, ajusta tábuas, constrói paredes.
Alguém já disse que "a vida é um projeto que você mesmo constrói".
Suas atitudes e escolhas de hoje estão construindo a "casa" em que você vai morar amanhã.
Construa com sabedoria!

20150310

Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém uma alegria, e para o seu povo gozo. Isaías 65:18

REPORTAGEM PREMIADA. HISTORIA MOTIVACIONAL. VEJA VALE A PENA
Da ameaça de rebaixamento em 2011 ao bicampeonato brasileiro 2014, o Cruzeiro se reinventou e mostrou por que é o melhor time do Brasil
APP.GLOBOESPORTE.GLOBO.COM

VALE A PENA VER E SE MOTIVAR. UM EXEMPLO. TUDO É POSSIVEL AO QUE CRÊ. TRABALHE SÉRIO.

20150309

"Melhor é ser humilde de espírito com os mansos, do que repartir o despojo com os soberbos." Provérbios 16:19

Havia duas vizinhas que vivam em pé de guerra. Não podiam se encontrar na rua que era briga na certa.
Depois de um tempo, dona Maria descobriu o verdadeiro valor da amizade e resolveu que iria fazer as pazes com dona Clotilde. 
Ao se encontrarem na rua, muito humildemente, disse dona Maria:
-Minha querida Clotilde. Já estamos nessa desavença há anos e sem nenhum motivo aparente. Estou propondo para você que façamos as pazes e vivamos como duas boas e velhas amigas.
Dona Clotilde, na hora, estranhou a atitude da velha rival e disse que iria pensar no caso. Pelo caminho foi matutando:
-Essa dona Maria não me engana: está querendo me aprontar alguma coisa e eu não vou deixar barato. Vou mandar-lhe um presente para ver sua reação.
Chegando a casa, preparou uma bela cesta de presentes, cobrindo-a com um lindo papel, mas encheu-a de esterco de vaca.
"Eu adoraria ver a cara da dona Maria ao receber esse 'maravilhoso' presente. Vamos ver se ela vai gostar dessa".

Mandou a empregada levar o presente à casa da rival, com um bilhete:
"Aceito sua proposta de paz e, para selarmos nosso compromisso, envio-te esse lindo presente".
Dona Maria estranhou o presente, mas não se exaltou.
"Que ela está propondo com isso? Não estamos fazendo as pazes? Bem, deixa pra lá.".
Alguns dias depois, dona Clotilde atende a porta e recebe uma linda cesta de presentes coberta com um belo papel.
-É a vingança daquela asquerosa da Maria. Que será que ela me aprontou!
Qual não foi sua surpresa ao abrir a cesta e ver um lindo arranjo das mais belas flores que podiam existir num jardim, além de um cartão com a seguinte mensagem:
"Estas flores são o que te ofereço em prova da minha amizade. Foram cultivadas com o esterco que você me enviou e que proporcionou excelente adubo para meu jardim. Afinal, cada um dá o que tem em abundância em sua vida".

20150305

Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas. Isaías 1:17


 DELICIAS!!!!!



FACILIMOS!!!


PRATICIDADE E SABOR, AGORA SÓ INCREMENTAR COM MUITO AMOR!!!!!

20150303

"E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2

A historia é muito antiga, mas não menos curiosa.

Algumas tribos africanas utilizam um engenhoso método para capturar macacos.

Como estes são muito espertos e vivem saltando nos galhos mais altos das árvores, os nativos desenvolveram o seguinte sistema:
Pegam uma cumbuca de boca estreita;

Em seguida, amarram-na ao tronco de uma árvore frequentada por macacos, afastam-se e esperam.
Após isso um macaco curioso desce; Enfia a mão. Apanha a fruta, mas como a boca do recipiente é muito estreita, ele não consegue retirar a banana.

Surge um dilema: se largar a banana sua mão sai e ele pode ir embora livremente; caso contrário, continua preso na armadilha.

Depois de um tempo, os nativos voltam e, tranquilamente, capturam os macacos que teimosamente se recusam a largar as bananas. O final é meio trágico, pois os macacos são capturados para servirem de alimento.
Você deve estar achando inacreditável o grau de estupidez dos macacos, não é?

Afinal, basta largar a banana e ficar livre do destino de ir para a panela.
Fácil demais...
O detalhe deve estar na importância exagerada que o macaco atribui à banana.

Ela já está ali, na sua mão...
Parece ser uma insanidade largá-la.
Essa história é engraçada, porque muitas vezes, fazemos exatamente como os macacos.
Você nunca conheceu alguém que está totalmente insatisfeito com o emprego, mas insiste em permanecer mesmo sabendo que está cultivando um infarto?

Ou alguém que não está satisfeito com o que faz, e ainda assim faz apenas pelo dinheiro?
Ou pessoas infelizes por causa de decisões antigas, que adiam um novo caminho que poderia trazer de volta a alegria de viver?
A vida é preciosa demais para trocarmos por uma banana?

Que apesar de estar na nossa mão, pode levar-nos direto a panela.