20090510

PARA SEMRE



FOI O PRIMEIRO POEMA QUE RECITEI... E NUNCA ESQUECI!

"PORQUE DEUS PERMITE QUE AS MÃES VÃO SE EMBORA?
MÃE NÃO TEM LIMITE, É TEMPO SEM HORA,
LUZ QUE NÃO APAGA QUANDO SOPRA O VENTO E A CHUVA DESABA,
VELUDO ESCONDIDO NA PELE ENRUGADA, AGUA PURA, AR PURO,
PURO PENSAMENTO.
MORRER ACONTECE COM O QUE É BREVE E PASSA
SEM DEIXAR VESTIGIO.
MÃE, NA SUA GRAÇA É ETERNIDADE.
PORQUE DEUS SE LEMBRA DE TIRÁ-LA UM DIA?
FOSSE EU REI DO MUNDO, BAIXAVA UMA LEI:
MÃE NÃO MORRE NUNCA,
MÃE FICARÁ SEMPRE JUNTO DE SEU FILHO E ELE,
VELHO EMBORA, SERÁ PEQUENINO FEITO GRÃO DE MILHO".

MAS QUANDO ME CONVERTI, ENTENDI QUE A MORTE DOS QUE CREEM É A VOLTA DO FILHO À CASA DO PAI, A ESPERA DOS SEUS.

Nenhum comentário: