20140327

"Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado. Todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação." Habacuque 3:17,18

Robert Hall, famoso pregador, costumava ter momentos de grande dor física, chegando a ser jogado no chão em grande agonia.

Quando as dores cessavam, as primeiras palavras que ele sempre dizia eram:
 "Espero que não tenha murmurado uma vez sequer". 
Nosso testemunho para Cristo seria muito mais eficaz se não reclamássemos tanto nas ocasiões em que a nossa fé é provada.

Todos nós gostamos de receber bênçãos e de experimentar regozijo e alegria.

Nessas ocasiões passamos os dias cantando e todos percebem o largo sorriso em nosso rosto.
Glorificamos a Deus e lhe dirigimos palavras de gratidão e felicidade.

E quando a dor nos atinge por um motivo qualquer?

E quando os nossos sonhos parecem que não vão se realizar?
E quando os nossos pés parecem conduzir-nos a lugar nenhum?
Qual a nossa reação? O que dizemos nessas horas?
O nosso Deus continua sendo o mesmo dos louvores ou passa a ser outro?

Há tempo para tudo em nossa vida.

Deus nos prova com momentos de júbilo e também com momentos de dificuldades?
Em todos eles o Senhor tem o propósito de edificar a nossa vida espiritual.
Precisamos ter discernimento para encarar as duas situações com a mesma fé e o mesmo amor ao Senhor.
Quando glorificamos ao nosso Salvador por todas as coisas, a tristeza acaba depressa e a alegria permanece por muito mais tempo.
Afinal, na presença do Senhor a alegria é plena e verdadeira.

Ainda que os nossos dias não sejam tão bons quanto desejamos, precisamos confiar no Senhor e adorá-lo da mesma maneira.

Tudo acontece para o nosso bem e por isso devemos estar sempre alegres.

Nenhum comentário: