20121024

"Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre?

Não, não.
O meu amor não é falso nem o meu tempo tão escasso.
Na verdade há vários dias que uma ideia me incomodava:
visite  o blog e poste algo.
Menina dos meus olhos, com o perdão do Criador que não
trata assim aos seus, que amo tanto e que como um filho nasceu
de uma vontade infinita e que tem sido vitrini e modelo pra mim.
Capa e conteúdo. E desejando que seja assim 
para os querido que me visitam.
Por isso quando posto algo, seja escrito ou retratado, pessoal ou reprodução é sempre com tanto esmero e zelo, pois penso sempre em quanto isso me será útil e se poderá ajudar alguém.
Nada faço por mim senão para gloria do Pai, que me tem dado muito, muito, mas muito mais do que tenho pedido e é por isso que me sinto nesta hora como negligente, alguém que oferece descaso a algo
que é importnte pra si mesma.
Mas arrepender-se quer dizer confessar, reconhecendo não ter feito como deveria ser.
Contraditório? Não, mas quem já não foi?Oh,... tantas vezes...
Na infancia, quando mudar ao oposto parecia natural;
Na adolescencia, quando imaginamos portar a verdade;
Na idade adulta, na troca de um esmalte, um sapato, um colar...
Hoje não me contradigo, apenas digo que gostaria de dizer o quanto tem sido importante se tu vens e dizes algo ou não... mesmo que só por vista para desapareceres consumido pelo silencio como alguém que bebe água na bica da fonte à beira do caminho...
É assim comigo, que seja assim contigo: mesmo quando não viemos, sabiamos que a nossa vinda seria importante.
Amo o meu amado blog. Amo você. E não importa as circunstancias nem os motivos que te fazem passar por este jardim.
Um jardim que tem flores colhidas com alegria,  borifadas com amor e visitadas por borboletas!!

Nenhum comentário: